segunda-feira, 18 de junho de 2018

"Jornada da Vida Saudável": Você é meu convidado especial!!!

Olá...tudo bem com todos?
Será que temos, por aqui, moradores do ABC Paulista?
Tenho um convite muito especial para todos vocês:  

"I Jornada da Vida Saudável".
Teremos a participação de renomados profissionais da área da saúde, comprometidos com uma melhor qualidade de vida, aos seus pacientes.
E claro, a oportunidade de ressignificar os seus conceitos sobre emoções, compulsões, ansiedades, atividades físicas, alimentação saudável e muito mais!!! Dra. Lia Lima, Médica Endócrino, apresentará o conceito do seu livro recém publicado: "Obesidade - A arte de remover este peso!"
E para abordar com maior propriedade sobre todos os temas que envolvem a questão do sobrepeso e qualidade de vida, o qual atinge um em cada cinco brasileiros, um time de convidadas muito especiais: Psicologia - Carla Padula; Nutrição - Luana Peretto; Coach - Jessica Brinchi; Fisioterapia - Eliane Coutinho e Marcela Elizabeth -  ICP (Instituto Corpo Perfeito) Você não vai ficar fora da nossa "Jornada da vida saudável', não é mesmo? Então, reserve o seu lugar, pois as inscrições são limitadas. Acesse o SYMPLA e garanta a participação neste evento. https://www.sympla.com.br/i-jornada-da-vida-saudavel__300466 Um evento gratuito com entrada social: 2 kg de alimentos não perecíveis para a Instituição Dr. Klaide - www.instituicaodrklaide.org.br Nos encontramos lá!!! Concepção: Soul - Assessoria em Comunicação - www.facebook.com/comunicacaosoul/


Apoio: 

Magrass Santo André







                                                                                   


      










domingo, 10 de junho de 2018

Como uma simples bola de sabão.....


Quando eu tinha 5 anos, minha mãe sempre falava que a felicidade era essencial na vida.
Quando estava na escola, eles me perguntaram o que gostaria de ser quando crescer: Escrevi: FELIZ!
Eles me disseram que eu não tinha entendido a tarefa...
E eu disse a eles que eles não tinham entendido a VIDA!
(Chico Xavier)

Desde criança, o que todos nós realmente almejamos é ser feliz...
Não importa onde ela esteja.... o que realmente desejamos é encontrar a tal felicidade!
E, desde nosso nascimento, somos recebidos com festa, muita alegria, muitas comemorações, como se a felicidade fosse continuar fazendo parte de nossas vidas, incondicionalmente!!!!
E muitas famílias  não economizam criatividade para proporcionar aos pequenos, momentos muito especiais e repletos de cor e alegria.... 
E então, após muitas festas de aniversário, datas comemorativas como Carnaval, Páscoa, Dia da Criança e até mesmo o Natal, momento em que nos encontramos, temos a oportunidade de sair da rotina, de mesas fartas, de roupas novas, da troca de presentes, de muitos abraços, beijos, elogios infindáveis!!!! 
As divergências de um ano inteiro, vão para debaixo do tapete e, como em um passe de mágica, o espírito de Natal impera e nos propicia um novo olhar, um novo sentir e até mesmo, novas atitudes em relação ao próximo!!!
E os anos passam e nós crescemos em meio a tantas outras comemorações!!! 
Nos ensinam a sentar, como comer da forma correta, a receber elegantemente e ser um ótimo anfitrião... Nos ensinam a falar baixo, a respeitar o próximo, a agradecer....
Nos ensinam a estudar e até mesmo, a aprender....
Mas o que realmente fica faltando é alguém nos ensinar a estarmos prontos para entender o porquê de recebermos, na vida, o que não estamos preparados para receber!!!!

E tais presentes da vida, nos chegam sem prévio aviso.... simplesmente chegam... e nós que nos façamos de fortes para estarmos prontos para o que quer que sejam!!!
E eles vem em diferentes formatos, cores, sabores ou até mesmo, dissabores!!!!
E sabe por que os chamam de PRESENTES???
Porque tudo o que a vida nos traz, sem que tenhamos pedido, contribui imensamente para o nosso crescimento pessoal. 
Como se estivéssemos no final de um curso qualquer: tais presentes da vida, chegam até nós para que possamos ser avaliados se realmente estamos aptos às futuras promoções!!!!
E se estivermos, nossa maior conquista será encontrar a felicidade...
Mas não uma felicidade interminável.... mas sim, momentos felizes..... como aqueles que vivíamos quando ainda crianças: que não nos importava o quanto custava o que recebíamos, mas sim o quanto nos fascinava, uma simples bola de sabão!!!!

Quantas vezes, quando brincávamos nos parques, esfolávamos nosso joelho e até mesmo sangrava....
Mas nem sempre nos rendíamos ao ferimento de tamanho prazer que estávamos sentindo em poder brincar...

E é assim que temos que levar nosso dias: de mãos dadas com o que nos fascina... nos entusiasma... com o que realmente faz nossa alma sorrir!!!!
Talvez, mesmo neste momento do ano, onde muitos estão às voltas com preparativos para as comemorações de Natal e passagem de ano, você tenha acabado de receber um destes inesperados  presentes da vida... e que não esteja sabendo como administrá-lo...ou até mesmo, não saiba o que fazer com ele!!!
Então...vou lhe dar uma dica: nada dura eternamente....tudo, absolutamente tudo é passageiro!!!! 
Por mais difícil que possa parecer tal situação.... já já ela será apenas, mais uma página da vida... e mais experiências adquiridas, talvez até mesmo, para compartilhar!!!!
Então.... fique em paz.... deixa a vida te direcionar para os próximos passos a seguir!!!!
Afinal...nada acontece em nossas vidas, por acaso...tudo tem um propósito, absolutamente tudo tem um porquê!!!!
E é exatamente por isso que não é necessário se desesperar, se preocupar em excesso....
Se tem algo acontecendo em sua vida, que você coleciona perguntas e não encontra respostas, calma... talvez este ainda não seja o momento de obtê-las....
Fique me paz e tente administrar o que está ao seu alcance....
Mas e o resto?
Ahhhhhhhhhh...o resto..... 
O que realmente importa é o aqui e agora..... simplesmente deixe o depois... para depois!!!!!


A Felicidade não é a ausência de conflito; é a habilidade de lidar com ele.
Uma pessoa feliz não tem o melhor de tudo; ela torna tudo melhor!
Torne seu dia lindo!
Torne sua semana linda!
É o meu desejo para você!
Boa semana!!!


sexta-feira, 8 de junho de 2018

Convite: "I Jornada da vida saudável" - Santo André/SP

Oiiii..tudo bem por aí? 
Vamos falar de um papo sério: como anda a qualidade de vida em relação à sua saúde? 
Tudo tranquilo em relação à alimentação saudável, sem excesso de peso e com suas emoções/compulsões equilibradas? 
Que tal rever alguns conceitos e atualizar informações para uma vida muito mais saudável? 
Nossa "Jornada da Vida Saudável" será em Santo André, no dia 26 de junho, às 19h.
E você não pode ficar fora desta!!
Drª. Lia Lima @dralialima, Médica Endocrino, em sua palestra, apresentará informações preciosíssimas; além dos conceitos com base cientifica, publicados em seu
livro " Obesidade - A arte de eliminar este peso!"
Como convidadas, profissionais com destaque na área da saúde, as quais irão palestrar, em acordo com sua área de atuaçao. 
E esta equipe é multidisciplinar: Psicólogia, Coach, Nutricionista e até a presença do ICP (Instituto Corpo Perfeito).
Não vai ficar fora deste evento, não é? 
As inscrições são limitadas e a entrada, gratuita e social: 2 kg de alimentos não perecíveis a serem doados para a Instituição Dr. Klaide @insituicaodrklaide
Basta se inscrever no Sympla e a sua participação estará garantida!!
https://www.sympla.com.br/i-jornada-da-vida-saudavel__300466


Nos encontramos lá! !! 


Idealização: 

Soul Comunicação 

Apoio: 
Magras Santo André @magrassstoandre

Eliana Queirós Advogados Associados


Mega Color Magazine- Mauá Plaza Shopping

quarta-feira, 6 de junho de 2018

Borboletrando...."Resiliência"

 " À cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade. A dor é inevitável. O sofrimento é opcional..."
(Carlos Drummont de Andrade)

Você possui resiliência?
Há 30 anos os psicólogos Katz e Kahn, escreveram em seu livro sobre “Psicologia Social das Organizações”, que mesmo sem perceber, as pessoas seguem as regras que são definidas pelas empresas que as contrataram.
Recentemente, ao ler o poema Definitivo, de Carlos Drummond de Andrade, vi alguns trechos que muito me estimularam a redigir esse artigo. 
Dentre os trechos, destaca-se: 
“Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um amigo, para nadar, para namorar”. 
Essa parte do poema muito se assemelha ao que se tem visto e ouvido sobre a resiliência nas organizações.
Há 30 anos os psicólogos Katz e Kahn, escreveram em seu livro sobre “Psicologia Social das Organizações”, que mesmo sem perceber, as pessoas seguem as regras que são definidas pelas empresas que as contrataram. 
Visto dessa forma, seguir procedimentos não caracteriza qualquer profissional como uma pessoa talentosa. Isso significa que, cada um deve dar uma nova imagem ou uma nova solução ao seu trabalho, diferenciando-se por ser o melhor e não o idêntico ao que os outros já fazem.
Diante das exigências que o mercado tem feito as organizações e essas, consequentemente, têm feito aos seus empregados, maior tem sido a necessidade da pessoa aumentar a sua habilidade, apresentando um diferencial na equipe. Afinal, empresas vencedoras precisam de profissionais com potencial para a vitória. Não é isso que se ouve? Daí surge a necessidade de cada um desenvolver a sua resiliência.
A saber, esse termo originalmente trazido da Física e visto em alguns profissionais, explica a capacidade que uma pessoa tem para se recuperar mais rapidamente de alguma “queda”. É a capacidade humana de superar as adversidades, os problemas e as dificuldades encontradas tanto na vida pessoal quanto na vida profissional. Por mais que sofra pressões externas, a pessoa não se entrega ao sofrimento. Ao invés disso, ela o utiliza como um trampolim para seguir com mais força. 
Ser resiliente significa ter disposição e coragem para lutar, possuir desenvoltura para se superar e ter atitude para solucionar problemas, e não aumentá-los.
A maneira passiva de aceitar a vida faz com que muitas pessoas não cresçam, não prosperem e acima de tudo não amadureçam, pois ficam presas a um passado, mesmo quando esse passado o torna insatisfeito e infeliz. E assim, remoem a sua história de sofrimento sempre que oportuno. E ao invés de olhar para frente, vivem curvadas para o que já se foi. O que as mantêm nesse lugar de lamento, não há dúvidas, pode dar certo em alguns contextos.
Por exemplo, algumas pessoas prendem-se às suas tristes histórias e levam para o ambiente de trabalho a sua sofrida vida pessoal, familiar ou conjugal, a fim de criar laços e aos poucos convencer colegas e chefe crerem que ela precisa do trabalho mais do que as outras, e que de alguma maneira merece uma ajuda, uma chance ou quiçá uma permanência no emprego, em lugar de outra pessoa. Esse tipo de profissional, além de pouco criativo na solução de um problema real, aos poucos pode estimular um clima de desarmonia no ambiente, que pode fazer a organização perder profissionais verdadeiramente competentes. Afinal, o seu objetivo é satisfazer a sua necessidade atual, não sendo modelo de garra, força e determinação.
Reclamar não proporciona mudanças a ninguém, até porque neste mundo veloz, não há tempo para lastimar, mas sim para novas ideias. Essa atitude de lamentar para ganhar o amor ou a atenção das pessoas, somente dificultará a possibilidade de novos convites, afinal pouco se vê organizações que deem alguma oportunidade para profissionais que não conseguem administrar os seus problemas emocionais.
As pessoas não têm problemas maiores do que as outras. Independente da situação econômica, da formação, se é homem ou mulher, se é casada ou solteira, os problemas sempre existirão. Todo ser humano tem problemas, a diferença está na maneira como cada um enxerga a pedra que está em seu caminho. Enquanto uns o aumentam, outros simplesmente o minimizam e o solucionam. 
Não quer dizer que uns sofrem e outros não. Alguns, simplesmente não utilizam o seu problema como desculpa. Uns focam o problema, culpando os outros por seu insucesso. Outros, com dinamismo e disposição conseguem sorrir, mesmo diante de um precipício.
Essa maneira de lidar com o desânimo ou com a derrota indica a maneira como cada um escolhe para viver e ter sucesso. 
O que diferencia as pessoas está na alma, na paixão, na razão, na forma como cada uma se envolve com a sua vida. Alcança o sucesso, aquele que fortalece o que faz de melhor, dando ênfase às suas qualidades.
Você quer vencer? 
Então, exercite a sua capacidade resiliente, porque retomando Carlos Drummond de Andrade:
“A dor é inevitável. O sofrimento, opcional”.


Autora: Patrícia Almeida - admvital.com/blog/2760

sexta-feira, 1 de junho de 2018

Mês de junho de 2018: tem Copa do mundo, mesmo?

Resultado de imagem para ruas pintadas para copa do mundoJá podemos dizer que estamos em Junho...tá passando rápido demais..noooossa!!
Mas, alguém pode me responder uma coisa: neste mês tem Copa do mundo, neh?
Cadê o burburinho da Copa?
Cadê a paixão dos brasileiros, pelo futebol? 
Ninguém mais pinta as ruas... usa verde e amarelo?
Eu só tenho visto bandeirinhas de festa junina...quase nada sobre Copa do mundo.
Será que estamos tão frios com este evento, por quê será lá do outro lado do mundo, em um país tão "frio" como a Rússia? 
Ou será que perdemos o encanto pelo nosso pais, a tal ponto, que nem com a COPA, nós vibramos mais ?
Será que ainda estamos traumatizados com aquele placar de 7...a quanto mesmo? 
O sete..eu não esqueci. ...
Uma copa que aconteceu aqui em nosso país. ..eu mesmo, não pude participar de nada; estava passando pela quimioterapia e não podia colocar minha saúde em risco, em função da baixa imunidade.
Acompanhei tudo pela TV...e fiquei muiiito triste de não poder estar em meio ao burburinho de estrangeiros em nosso país. ..
E agora, quatro anos depois, nosso povo segue...como se a seleção do Brasil nem estivesse entre as delegações. ..
Ahhh...esse povo brasileiro...meu povo..anda muiiito decepcionado com TUDO...que pena!!!
Um país tão lindo...repleto de tantas belezas naturais...
De pessoas tão incríveis. ..com um sorriso que sempre foi tão largo...
Mas que anda cansado...
Cansado de ser usado, enganado, ludibriado...e tantos "ados" mais...
............
Que venha, Junho de 2018.. E que venha a Copa do Mundo, também. .
Mas acima de tudo, que venha o BRASIL QUE QUEREMOS, que sonhamos e que sentimos tantas saudades...
O Brasil da fartura, da alegria, do acolhimento e até mesmo...o Brasil do futebol!!!
Que tenhamos um mês de junho, muito mais tranquilo e sem tantas preocupações. ...em nosso simples direito de ir e vir!!!

terça-feira, 22 de maio de 2018

Língua Portuguesa e algumas Expressões idiomáticas


Oiê, pessoas que me seguem aqui em meu cantinho...

Espero que absolutamente tudo esteja bem com vocês!!!
Como sempre comento, para cada um dos meus posts, há um caminho de pesquisas que costumo intitular como "Borboletear" pelas páginas alheias.
E, como em um dos meus últimos posts usei a expressão coloquial "Pisar na bola", que significa:   Cometer equívoco, decepcionar alguém, resolvi fazer um post só com expressões idiomáticas...principalmente porque meu cantinho é visitado por muitos países com tantos outros idiomas.
Mas para quem fala outro idioma, a pergunta que não quer calar é: o que é uma expressão idiomática?
Vamos lá...eu explico...
"Uma expressão idiomática ou expressão popular, na língua portuguesa, é uma expressão que se caracteriza por não ser possível identificar seu significado através de suas palavras individuais ou de seu sentido literal. Dessa forma, também não é possível traduzi-la para outra língua de modo literal. As expressões idiomáticas estão presentes em diversas situações do dia a dia. 
Geralmente se originam de gírias, cultura e peculiaridades de diversos grupos de pessoas: seja pela região, profissão ou outro tipo de afinidade."
E já adianto que, na língua portuguesa, há uma infinidade delas...mas escolhi algumas bem interessantes e utilizadas com frequência em nosso dia-a-dia.

ANDAR NA LINHA 
Significa agir corretamente, obedecer. 
A expressão pode ter se originado nos quartéis, onde os recrutas aprendiam a andar na linha, quer no sentido literal, acompanhando o pelotão, quer no sentido conotativo, obedecendo a seus superiores militares, sem se desviar.

ARREGAÇAR AS MANGAS: Dar início a um trabalho ou atividade com afinco.

ATRÁS DA MOITA : Fazer algo escondido
BATER AS BOTAS:  Significa falecer. A expressão pode ter se originado na primeira invasão holandesa ao Brasil, ocorrida em 1624, em que os negros, não estando acostumados com os armamentos que lhes foram dados, constantemente tropeçavam nas próprias botas, virando um alvo fácil para os holandeses. Assim, os demais negros costumavam se referir àqueles que morriam dizendo que "haviam batido as botas".
CAIR DE PARAQUEDAS: Surgir de forma inesperada, iniciar determinada atividade sem a mínima habilitação ou preparação prévia.                                                            
CARTA FORA DO BARALHO: Pessoa, ideia ou objeto descartável, com o qual não se pode contar   

CHUTAR O BALDE: Agir irresponsavelmente em relação a um problema, desistir.                                               
CHUTAR O PAU DA BARRACA: Perder a calma, descontrolar-se.
COLOCAR PILHA: Influenciar alguém; “dar corda”
CONTANDO AS HORAS: Esperar ansiosamente por determinado acontecimento, desejando que o tempo passe rapidamente.
DAR DE BANDEJA: Fornecer algo a alguém com facilidade, sem levantar obstáculos ou criar problemas.

DAR O CANO: Quebrar um compromisso
DAR PAU NA MÁQUINA: Parar de funcionar, estragar.
DAR UMA COLHER DE CHÁ: Facilitar algo a alguém, dar uma chance.
DAR UMA MÃO: ajudar, auxiliar.
DESCASCAR O ABACAXI: Solucionar um problema complicado.
DOR DE COTOVELO: Sentir inveja, ciúmes, despeito amoroso. A expressão originou-se nas cenas de pessoas sentadas em bares, com os cotovelos apoiados no balcão, bebendo e chorando por um amor perdido. De tanto permanecerem nessa posição, as pessoas ficavam com dores nos cotovelos.
ENTRAR COM O PÉ DIREITO: Significa "começar bem". A expressão originou-se numa antiga superstição pertencente ao Império Romano. Nas festas realizadas na antiga Roma, os convidados eram avisados de que deveriam entrar nos salões "dextro pede" - com o pé direito - para evitar o azar. A expressão generalizou- se e ainda hoje é utilizada com esse propósito.
ESTAR COM A FACA E O QUEIJO NA MÃO: Ter poder ou condições para resolver determinada situação, faltando ao indivíduo apenas a tomada de atitude.
COM UM PÉ ATRÁS: Ficar hesitante, desconfiado.
DE BRAÇOS CRUZADOS: Não fazer nada diante de uma situação, não tomar atitude.
ESTAR DE MÃOS ATADAS: Estar impossibilitado de resolver um problema ou de tomar uma atitude.
ESTAR DE SACO CHEIO: Estar aborrecido, cansado, desanimado
FICAR DE CABELO EM PÉ: Assustar- se, irritar-se.
FICAR EM CIMA DO MURO: Não tomar partido diante de uma situação
FICAR PLANTADO: Esperar alguém durante muito tempo.
LAVAR ROUPA SUJA: Discutir assunto particular em público.
COM A MÃO NA RODA: Significa ajudar, ser prestativo. A expressão pode ter se originado em situações em que o carro de boi atolava, necessitando que os peões ajudassem a movimentá-lo novamente, empurrando as rodas com as mãos

PAGAR NA MESMA MOEDA: Retribuir de igual modo algo que recebemos.
PASSAR A PERNA: Enganar alguém
Pedra no sapato: Significa ter uma dificuldade ou problema que incomoda, causando transtorno. A expressão alude à sensação de desconforto ocorrida durante uma caminhada, caso algum pedregulho entre em nosso sapato.
Por a mão no fogo: Significa confiar muito em alguém, a ponto de

 jurar pela sua inocência. A expressão pode ter se originado na 

 prova do ferro caldo, utilizada durante a Idade Média. Naquele

 período, quem alegava inocência submetia-se a pegar numa barra

 de ferro aquecida e caminhar com ela na mão por alguns metros

. Envolvia- se a mão em estopa, selada com cera e, três dias depois

, abria-se a atadura. Se a mão estivesse ilesa, sem sinal de

 queimadura, era provada a inocência. Se estivesse queimada,

 provada estava a culpa, sendo imediata a punição pela forca.

Pular a cerca: Traição conjugal

Quebrar o galho: Usar de artifício temporário para resolver

 determinado problema, improvisar.

Quebrar o gelo: Iniciar uma conversa com alguém pouco próximo.

Sair do armário: Revelar um segredo importante e pessoal, 

geralmente mal visto pela sociedade


Obs.: a expressão costuma ser utilizada com o sentido de assumir a 

homossexualidade.


Segurar vela: Significa ser a única pessoa solteira

 aacompanhar  um casal de namorados, a ponto deficar "sobrando"

 ou  atrapalhando o clima romântico dos dois. A

 expressão originou-se  na Idade 

Média, sendo utilizada para designar o trabalho dos  criados que

 seguravam candeeiros em eventos e estabelecimentos  que

 funcionavam à noite, ou ainda em situações em que seus  patrões

 quisessem ter relações sexuais com luz. Nesses casos, os  criados 

seguravam as velas virados de costas, de forma a não lhes  invadir a

 privacidade.

Sem pé nem cabeça: Sem lógica, sem sentido.

Ter uma carta na manga: Estar precavido, ter uma alternativa a 

ser utilizada diante de uma necessidade.


Trocar as bolas :Confundir-se, atrapalhar-se.


Ver a luz no fim do túnel: Ver uma saída diante de uma situação 

difícil, acreditar que a solução de um problema existe.


Encher linguiça: Geralmente, a expressão é utilizada quando 

alguém fica estendendo um assunto com detalhes ou questões sem 

a menor importância. O “enchedor de linguiça” também pode ser 

reconhecido naqueles típicos sujeitos que arranjam qualquer 

assunto desinteressante para impressionar alguém ou matar o 

tempo. Não se restringindo ao mundo da fala, a habilidade de 

encher linguiça também serve para os alunos que tentam ganhar 

pontos em uma avaliação com respostas prolixas e nada objetivas. 

De acordo com o Dicionário Houaiss da Língua 

Portuguesa, essa expressão derivou de um sentido figurado. Sua 

origem está no processo de fabricação de linguiças, que são feitas 

com diferentes tipos de carnes. Esse material é processado, unido a 

temperos, condimentos e gordura e depois misturado até formar 

uma massa uniforme. Terminado esse processo, é hora de encher 

linguiça, ou seja, de colocar esse material dentro das tripas até que 

elas fiquem com o aspecto do alimento. Hoje em dia, o controle de 

qualidade é mais rigoroso, mas houve um tempo em que qualquer 

resto de carne e gordura servia. Daí a origem da expressão.


CHORAR SOBRE O LEITE DERRAMADO: Lamentar-se por 

algo que não tem solução

Pisar em ovos: Ser cauteloso...vagaroso

Tirar a água do joelho: Necessidade fisiológica: urinar

Procurando cabelo em ovo: Procurar coisas ou problemas onde não existem. É como:“procurar sarna para se coçar”, “procurar chifre em cabeça de cavalo” etc.Isso é típico dos teimosos e dos ciumentos.



ENGOLIR SAPOS: Não importa a maneira a qual alguém esteja se referindo, engolir sapo é ruim de qualquer forma; porém na maioria das vezes, é bem melhor engolir um anfíbio propriamente dito do que passar por certas situações bem constrangedoras.


Deixar as barbas de molho: Na Antiguidade e na Idade Média, a barba significava honra e poder. Ter a barba cortada por alguém representava grande humilhação. Essa ideia chegou aos dias de hoje nessa expressão que significa ficar de sobreaviso, acautelar-se, prevenir-se. Um provérbio espanhol diz que "quando você vir as barbas de seu vizinho pegar fogo, ponha as suas de molho".

Pagar o pato: A expressão tem como origem uma brincadeira antiga. Um pato era amarrado a um poste e os jogadores, que vinham galopando acavalo, tinham que cortar suas amarras com um só golpe. Quem errasse teria de recompensar os adversários – ou pagar o pato.

Dar uma de João sem braço: A expressão é usada para designaras pessoas que escapam de fazer alguma coisa, dando uma desculpa que não se justifica. Possivelmente deriva da época das guerras civis de Portugal. Os feridos e aleijados não podiam trabalhar nem voltar à luta."Simular não ter um ou os dois braços constitui-se em escusa para fugir ao trabalho e a outras obrigações. Não demorou e a expressão dar uma de João-sem-braço migrou para o rico, sutil e complexo reino da metáfora, aplicando-se a diversas situações em que a pessoas se omite, alegando razão insustentável".


Sentindo-se um peixe fora d'água: Aplicável aos indivíduos que, por não estarem em seu ambiente natural, são candidatos certos ao fracasso naquilo que tentam fazer.


Pendurar as chuteiras Aposentar- se, desistir, encerrar atividades
Lavagem de dinheiro: “Lavagem de Dinheiro” teve sua origem 

nos Estados Unidos. Acredita-se que ela tenha sido criada para

 caracterizar o surgimento, por volta dos anos 20, de uma rede de

 lavanderias que tinham por objetivo facilitar a colocação em

 circulação do dinheiro oriundo de atividades ilícitas, conferindo-

lhe a aparência de lícito

Com a corda no pescoço: Utilizada para

 designar alguém que está sob pressão, com 

problemas financeiros ou algo muito ruim

 está acontecendo com essa pessoa. Essa

 expressão é utilizada como referência a um 

enforcamento onde o algoz já teria colocado 

a corda no pescoço da pessoa que está pra ser enforcada

É como se a pessoa já estivesse em uma situação muito ruim, mas a

 pior coisa ainda não aconteceu, ou seja, ainda pode piorar.


Marcar touca: Distrair-se e perder uma oportunidade

Soltar a franga: Desinibir-se (geralmente 

assumindo um lado feminino/gay) A

 expressão surge nos anos 70, resultado da 

revolução dos costumes (woodstock, guerra

 do Vietnã, etc), e se baseia no fato de que a

 galinha é um dos animais com período de cio

 mais amplo. Segundo alguns ornitólogos, é praticamente

 incessante. Por outro lado, não existia o termo "franga", tão

 somente galo/frango/galinha. Assim o neologismo passa a indicar

 de modo jocoso um terceiro sexo, o que não deixa de ser modo

 homofóbico de referência, já que não há "3º sexo", apenas

 transgêneros já operados e travestis, que não constituem tampouco

 um outro sexo. Por fim, os galináceos domésticos ficam presos em

 cercados, e soltá-los seria forma metafórica de liberar o ser

 humano de amarras sociais. Daí, "soltar a franga" = assumir opção

homossexual comportando-se como o sexo oposto

Lavar as mãos: Não se envolver em problemas alheios.


Fazer tempestade em copo d'água: Exagerar em determinadas situações


TESTA DE FERRO: Refere-se a alguém que se apresenta em nome de outra pessoa, de alguma organização ou ideia que não é de sua  própria autoria moral ou material, mas que apresenta ser.

Gostou da brincadeira?...então nos sites abaixo, tem muito mais!!!!


 ...até mesmo uma oportunidade para se distrair.... 





Mas por aqui, vou Saindo de fininho  (significa sair, sem que ninguém perceba) 


ehehehe... que significa, risadinhas